Previdência vai trazer economia de R$ 1 trilhão e deve ser aprovada dentro de 5 meses, diz Paulo Guedes

Enquete

O que você achou do nosso novo site?
Ótimo
Bom
Regular

Obrigações do Dia

  • 18/Abril/2019
  • IRRF | Imposto de Renda Retido na Fonte
  • Cofins/CSL/PIS-Pasep | Retenção na Fonte
  • COFINS/PIS-Pasep | Entidades financeiras
  • INSS | Previdência Social
  • Informe de Rendimentos Financeiros

Indicadores Econômicos

Moedas - 18/04/2019 15:58:52
  • Nome
  • Compra
  • Venda
  • Comercial
  • 3,911
  • 3,911
  • Paralelo
  • 3,890
  • 4,110
  • Turismo
  • 3,760
  • 4,080
  • Euro
  • 4,392
  • 4,393
  • Iene
  • 0,035
  • 0,035
  • Franco
  • 3,853
  • 3,852
  • Libra
  • 5,088
  • 5,091
  • Ouro
  • 160,500
  •  
Mensal - 14/02/2019
  • Índices
  • Dez
  • Jan
  • Inpc/Ibge
  • 0,14
  • 0,36
  • Ipc/Fipe
  • 0,09
  • 0,58
  • Ipc/Fgv
  • 0,21
  • 0,57
  • Igp-m/Fgv
  • -0,49
  • 0,01
  • Igp-di/Fgv
  • -0,45
  • 0,07
  • Selic
  • 0,49
  • 0,54
  • Poupança
  • 0,50
  • 0,50
  • TJLP
  • 0,56
  • -
  • TR
  • -
  • -

O ministro da Economia, Paulo Guedes, reforçou nesta segunda-feira (11), em entrevista concedida ao jornal Financial Times, que a reforma da Previdência a ser apresentada pelo governo Jair Bolsonaro ao Congresso pretende economizar R$ 1 trilhão em 10 anos. A reforma, segundo Guedes, deve ser aprovada "dentro de cinco meses".

De acordo com o ministro, a versão final da reforma da Previdência chegará ao Congresso "assim que o presidente se levantar da cama". Nesta segunda-feira, Bolsonaro recebeu alta da unidade semi-intensiva e foi transferido para apartamento do Hospital Albert Einstein. Em 28 de janeiro, o o presidente foi submetido a uma cirurgia para retirada da bolsa de colostomia.

Além da alteração na legislação previdenciária, o ministro sinalizou que pretende realizar uma reforma tributária e liderar um programa de privatização. "Estamos indo na direção de uma economia voltada para o mercado", afirmou Guedes para o Financial Times.

O jornal lista uma série de desafios para Paulo Guedes. Segundo a publicação, o ministro terá de lidar com um grande déficit fiscal, aumento da dívida pública, 12 milhões de desempregados, além de liderar uma economia de baixa produtividade e que apresenta uma recuperação econômica "anêmica".

“No entanto, as contas externas estão amplamente equilibradas e as reservas externas estão em US$ 377 bilhões”, disse o Financial Times.

Apoio do Congresso
O Financial Times destaca ainda que o governo precisará de um amplo apoio do Congresso para aprovar a reforma da Previdência. "A recente eleição do aliado Rodrigo Maia como presidente da Câmara, necessária para reunir a coalizão entre os 30 partidos do Congresso, deve melhorar as chances de aprovação", disse a publicação.

Fonte: G1 Globo | 12/02/2019

Site desenvolvido pela TBrWeb  (XHTML / CSS)
Universo Consult  |  Rua 15 de Novembro, 65 - Centro - Amparo SP  |  Fone 19. 3808 8890